O que é um trader esportivo?


  • admin

    Trader Esportivo

    Você já ouviu falar em Trader ou Operador Esportivo? Com alguma frequência recebo dúvidas sobre trading esportivo, então resolvi escrever um texto simples (nem tenho coragem de chamar isso de artigo, rs) falando sobre o assunto do ponto de vista de um trader do mercado financeiro. É muito importante deixar claro que não tenho a intenção de fazer nenhum tipo de apologia, tampouco condenar as práticas em qualquer um destes mercados. O objetivo aqui é deixar claro a diferença gigantesca entre os dois mercados, que eventualmente são confundidos por conta de termos e expressões semelhantes. Dito isto, resumindo, um trader esportivo é um apostador que atua principalmente através de casas de apostas online (sportingbet, oetonline, betfair, bet365 etc). É importante reforçar desde já que o trading esportivo não tem absolutamente nenhuma correlação com os negócios de bolsa de valores. Então, para simplificar, falarei a seguir de 3 tópicos básicos que diferenciam o mercado de capitais do mercado de apostas esportivas.

    1 - Sistema de negociação – O sistema de uma casa de apostas é totalmente diferente dos sistemas de bolsa de valores. De modo geral, “casar” uma aposta é relativamente mais simples do que registrar um negócio no mercado acionário, pois neste caso é preciso identificar precisamente quem está executando a ordem. Os negócios em bolsas de valores começaram há séculos atrás e com o passar do tempo foi criado uma série de procedimentos de segurança para: padronizar os ativos negociados, honrar os compromissos assumidos nos negócios, evitar esquemas de lavagem de dinheiro, proteger os investidores de títulos falsificados, tributar as negociações realizadas, regular as operações do ponto de vista legal entre muitas outras finalidades. Por isso, surgiram complexos sistemas de liquidação e custódia, pois quando um investidor compra uma ação, ele está adquirindo um bem (um pedacinho daquela empresa, que pode dar direito a dividendos, entre outros benefícios). Neste sistema financeiro é possível saber exatamente quem comprou de quem, pois cada negociação realizada possui um código de identificação, enquanto os sistemas de apostas fazem um balanço geral entre os montantes apostados. Outro ponto é o processo de abertura de conta num banco ou corretora de valores que, por mais simples que esteja hoje em dia, ainda é mais rigoroso se comparado a um cadastro em sites de apostas. Os aportes de dinheiro em corretoras e bancos precisam ter origem reconhecida, através de transferência bancária, enquanto que nas casas de apostas é possível utilizar um cartão de crédito. Existem muitos outros pontos a serem abordados, mas até aqui já podemos concluir que os sistemas de bolsa de valores são mais burocráticos que aqueles empregados em sites de apostas, visando respeitar protocolos e regulamentações governamentais. Isto dá uma segurança ao investidor, como veremos mais adiante.

    2 - Técnicas e táticas de análise – não há dúvidas de que existem técnicas para apostar bem. Uma pessoa com profundo conhecimento em esportes tem alguma vantagem em relação a um leigo que aposta aleatoriamente ou movido pelas emoções. Por exemplo, vamos considerar dois times de futebol que irão se enfrentar num final de campeonato. Neste caso, é provável que tanto a composição dos times (nível, histórico, habilidade individual e idade dos jogadores e técnicos), como a situação de cada um naquele momento (jogadores suspensos, nível de entrosamento, resultados de partidas recentes, ranking etc) possa ter alguma influência no resultado da partida. Contudo, o volume de apostas não interfere no resultado final do jogo em si, diferente dos fluxos de negócios em bolsa de valores que interferem diretamente nos preços ofertados. Esta característica, no mercado de opções, por exemplo, é essencial para determinar o exercício dos direitos e obrigações negociados. Já no mercado de apostas, se a maioria acredita que o time A vai vencer, por maior que seja o volume apostado, isto não tem efeito algum no resultado do jogo. Além disso, o mercado de apostas não gera indicadores macroeconômicos, gráficos de candle, balanços trimestrais entre outros tópicos comuns para traders do mercado de capitais.

    3 - Legislação – No Brasil o “mercado de apostas” não é regulamentado. Algumas leis condenam as apostas (exemplo: artigo 50 da lei nº 3.688 e artigo 37 da lei nº 13.155, pertencente à medida provisória nº671, conhecida como “a MP do futebol”), mas existem algumas brechas (como o artigo 62 da constituição, que diz que uma medida provisória não pode editar matéria de direito penal) que permitem o brasileiro apostar sem ser considerado um criminoso. Resumindo, por um lado não há casas de apostas no Brasil, mas por outro você não corre o risco de ser preso, nem multado, se apostar em casas de apostas internacionais. Contudo, é importante deixar claro que não existe nenhuma instituição governamental que irá garantir os seus direitos se houver algum problema com as casas de apostas. Já o mercado de capitais é devidamente regulado pelas autoridades brasileiras e os profissionais que atuam nesta área são devidamente certificados por órgãos ligados à CVM (Comissão de Valores Mobiliários – uma entidade autárquica vinculada ao Ministério da Fazenda com a finalidade de disciplinar, fiscalizar e desenvolver o mercado de valores mobiliários).

    Só estes 3 tópicos dariam temas para discussões longas e detalhadas, mas como expliquei antes, a intenção é apenas deixar claro que se tratam de atividades totalmente distintas, sem qualquer correlação. E para fechar o assunto, aqui no Portal do Trader a abordagem é totalmente focada no mercado de capitais, sem nenhuma pretensão de oferecer qualquer serviço ou curso voltado para o mercado de apostas esportivas... até mesmo porque, no meu caso, expectativas sobre futebol, corrida e MMA se restringem unicamente à mesa de bar.

    Se você gostou do artigo, não esqueça de deixar seu like, ele nos ajuda a saber que tipo de conteúdo devemos continuar produzindo.

    Boas reflexões e a gente se vê no mercado!

    Traders Profissionais: Aprenda como ser um trader!



  • Bom dia Sasaki! 

    Agradeço o seu artigo sobre esse assunto e é de fato um claro separador de águas entre os vários cenários de trade que por usarem o mesmo denominador trader, ás vezes trazem algumas confusões e paralelismos infundados.

    Peço desculpa por ousar escrever aqui, e se achar que não é oportuno, peço para anular esta resposta, mas eu gostava só de acrescentar aqui um pouco da minha experiência.

     A minha experiência é no trade desportivo, ou esportivo, e confirmo que há muita falta de regulamentação séria nesse mercado. O trader, ou apostador, é sempre a parte frágil desta cadeia de valor que gera lucros milionários e a mais desprotegida. Principalmente porque, para efeitos fiscais/lucros, grande parte dessas casas de apostas online são sediadas em paraísos fiscais ou países com legislação mais permissiva quanto à forma de actuar, quanto a regulação financeira, ou quanto á protecção do ganhador/apostador/trader.  

    No que diz respeito aos sites, neste sector de actividade há duas formas distintas de atuar; 1- Os sites de apostas, onde o aceitador da odd, do risco, ou da probabilidade, é a própria casa de apostas. 2- As Bolsas de apostas, onde o aceitador da odd, do risco, ou da probabilidade, é outro apostador. Aqui a casa de apostas só serve de "intermediário" e cobra uma comissão (%) no lucro.

    No primeiro caso, os sites de apostas, é certo que há sites desses com melhor ética ou pior, mas no fundo, na generalidade dos sites, o apostador vai apostar contra a casa de apostas. Ou seja, se alguém acha que o Real Madrid, ou o Bayern de Munique vai ganhar um jogo e aposta na vitória desse clube, se ganhar a aposta quem perde o dinheiro é a casa de apostas porque é ela que aceita o risco. Assim, logicamente, na generalidade dos sites, os apostadores de sucesso não são lá muito bem vindos. Os sites, não tem nada escrito quanto a isso, mas quando há um apostador de sucesso, essas casas usam uma série de estratégias para dificultar a vida a esse apostar, reduzir o lucro e muitas vezes anulam mesmo a conta dele sem lhe dar hipótese de tirar os seus valores. E aí o apostador/trader, é o elo fraco, porque pode reclamar com o próprio site, quase sempre sem sucesso, mas não tem nenhuma entidade reguladora a quem se dirigir para reclamar e fazer valer os seus direitos.

    No segundo caso, as bolsas de apostas, a situação é ligeiramente diferente. Aqui as casas de apostas, só garantem que a operação é realizada. Os apostadores podem apostar a favor ou contra os eventos desportivos. Eu posso apostar contra a vitória do Bayern de Munique a uma odd (risco ou probabilidade) de 1,5, e a minha aposta só entra se houver alguém que aposte a favor do Bayern e me compre a aposta a essa odd de 1,5. No final do jogo, ou passado alguns minutos, eu posso fechar a minha operação e se tiver lucro, pago uma percentagem a casa de apostas. Neste caso o outro apostador é que suporta o prejuízo, ou perda. Aqui os apostadores com sucesso não são penalizados por terem sucesso. No entanto o nível de comissões cobradas normalmente sobe substancialmente se os ganhos começarem a ser significativos. Podem subir de 6,5% para valores acima de 20%. No entanto, e apesar de ser uma operação mais justa, o trader, ou apostador, continua a ser o elo mais fraco neste processo e em caso que tenha que reclamar algo, só o poderá fazer com a própria casa de apostas, não tendo nenhum órgão regulador a quem recorrer.

     

    De uma forma geral era bom que neste aspecto a regulação caminhasse para um paralelismo com o mercado de capitais no que toca a regulação da actividade e dos vários agentes envolvidos, um pouco à imagem do que já acontece em Inglaterra onde a actividade já é regulamentada e o apostador, sports trader ou gambler, já é reconhecido com actividade profissional, tem enquadramento legal e fiscal, e tem entidade reguladora.

     

    Do ponto de vista técnico, de facto, como você disse de forma excelente, esta área não tem correlação nenhuma com os outros mercados de trading regulados. No trade desportivo, o que se compra ou vende é uma probabilidade, ou um risco, uma hipótese de acontecer algo que não tem influência nenhuma no resultado, ou no evento sobre o qual se aposta.  

    Mais uma vez obrigado pelo seu artigo sobre este tema.


  • admin

    @MiguelM, em primeiro lugar, parabéns e muitíssimo obrigado pelo seu contraponto! Comentários construtivos como o seu são mais do que bem-vindos!

    Já me deram um feedback semelhante ao seu, mas em relação ao poker online. Como eu não tenho nenhuma propriedade para discorrer sobre estes assuntos, procuro focar n minha área de atuação.

    De qualquer forma, tenho certeza que a sua observação contribuirá com a vida de muitos outros traders, sejam eles do trade desportivo ou de bolsa de valores. É graças a pessoas como você que a nossa comunidade vem crescendo cada vez mais e sempre com diálogos de alto nível!



Parece que sua conexão com Fórum Portal do Trader caiu, por favor aguarde enquanto tentamos reconectar.