Por que as ações sobem e descem?





  • A mídia e os analistas sempre tentam explicar os movimentos do mercado: balanços, notícias, relatórios, declarações de integrantes do governo ou das próprias companhias listadas em bolsa, enfim, não faltam motivos para uma alta ou queda. Porém, o que a maioria dos participantes do mercado não percebe (ou esquece) é simplesmente o princípio básico dos mercados acionários: uma ação tende a subir porque os investidores querem pagar preços cada vez mais altos para adquiri-la. E tende a cair porque existem muitos investidores querendo se desfazer de suas posições a qualquer preço (ou abrir uma posição vendida, apostando na queda).

    Quando analistas ou meios de comunicação dizem que a Bolsa caiu ou subiu estão fazendo referência ao principal índice dela. No Brasil, por exemplo, o principal referencial é o Ibovespa (Índice Bovespa), que é uma espécie de carteira das principais ações do mercado acionário brasileiro, selecionadas por participação no volume de negócios, mas também no tamanho da empresa e o setor da economia.

    Existem muitos motivos que fazem o mercado se movimentar, mas o fator isolado mais importante é a reação emocional dos investidores às informações extraídas dos mercados. O mercado é um jogo de expectativas, e o movimento dos preços gera a confirmação ou a frustração dessas expectativas, e também as decisões de compra ou venda dos participantes do mercado.

    As notícias em si não têm tanta importância quanto se imagina. O que realmente faz os preços se moverem é como o mercado reage às notícias. Os fundos, bancos e demais participantes do mercado possuem equipes de especialistas em determinado setor ou ação. Profissionais que conversam diariamente com diretores de empresas consultam outros analistas do setor e, por vezes, possuem até assento no conselho da companhia. A qualidade da informação que estes possuem é tão boa que dificilmente eles se surpreenderão com alguma notícia divulgada pela mídia. Se as notícias forem realmente surpreendentes, o mercado mostrará uma oscilação positiva ou negativa nos preços, mas com um volume negociado diferente da média dos últimos pregões.

    O mercado de alta é gerado pelo otimismo e, às vezes, euforia dos investidores que não querem ficar de fora da alta do mercado. Assim produzem forte pressão de compra, com investidores dispostos a pagar qualquer preço pelos ativos.

    O movimento de baixa ocorre porque há maior força vendedora causando a desvalorização nos preços de um determinado ativo. Muitos investidores perderam o otimismo em relação a uma certa empresa ou com a situação do mercado. Assim, procuram se desfazer de suas ações a qualquer preço, temendo uma maior queda.

    O movimento lateral se dá quando o preço de um ativo não sobe e nem desce, muitas vezes ficando no meio de uma congestão de preços. Neste caso há indecisão em relação a tendência dos preços.

    O que leva os investidores a querer comprar ou vender ativos?

    Expectativa do mercado: a compra e venda de ativos feita pela massa dos investidores será sinalizada basicamente pelo o que eles esperam de uma determinada companhia ao longo do tempo. Ou seja, se a expectativa for de crescimento, os investidores estarão atrás da compra dessas ações e o seu preço aumentará, já o contrário, eles procurarão vendê-las a qualquer custo.

    O fato que talvez expresse melhor o quanto essa expectativa influencie no mercado foi a descoberta do pré sal em 2007. Na época, a Petrobras descobriu uma enorme reserva de petróleo e gás natural, com a expectativa de ter ali bilhões de barris de petróleo. As ações da petrolífera dispararam logo após a notícia, já que os investidores acreditaram que a descoberta traria no futuro muitos lucros e crescimento da estatal.

    Questões políticas e fiscais: o mundo das finanças é muito influenciado pelos planos de governo, políticas fiscais e expectativas em relação a todo jogo político. Na política, tem-se o poder de aumentar ou abaixar impostos, mudar a Taxa de Juros Selic, fazer políticas de incentivo a alguns setores do mercado etc. Portanto, dependendo da medida tomada por um governo, certas empresas podem acabar sendo prejudicadas ou beneficiadas por tais ações, que poderão atrair ou afastar os investidores.

    A vitória de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos mostrou o quanto a política influencia do mercado. No dia em que foi anunciada a sua vitória, a bolsa de países como o Brasil, China, Japão e México, tiveram quedas por causa de promessas do presidente eleito de rever acordos comerciais e taxar produtos chineses. Em seguida, os mercados se acalmaram com a divulgação da equipe econômica e um discurso menos radical.

    A empresa: se a companhia tiver uma atividade rentável, boa gestão, uma política de governança transparente, pagar bons dividendos e tiver um bom relacionamento com seus acionistas, ela provavelmente terá seus ativos muito visados pelo mercado.


Entre para responder
 

Parece que sua conexão com Fórum Portal do Trader caiu, por favor aguarde enquanto tentamos reconectar.