O minímo que você precisa saber para investir com base na Análise Fundamentalista





  • A análise fundamentalista (AF) é a escola de análise que leva em consideração os fundamentos econômicos das empresas que podem ter ou não capital aberto na bolsa de valores.

    Esta abordagem parte de dados financeiros vindos das áreas em que a empresa atua e dos próprios resultados operacionais provenientes de sua atividade para mensurar o comportamento da companhia.

    Na AF, o valor da empresa negociado na forma de preço de mercado, por meio das cotações de suas ações nas bolsas de valores é diferente de seu valor real. Este valor é conhecido como valor intrínseco e traduz o real preço da empresa a partir de alguns indicadores econômicos e da perspectiva de crescimento a longo prazo. Ou seja, busca-se conhecer as dívidas, os investimentos realizados, receitas, cenários macro, setores, atuação do governo no setor, entre outros indicadores.

    A partir deste estudo, tenta-se prever como será o comportamento destes dados ao longo do tempo. Há também muitos outros indicadores econômicos que ajudam o analista fundamentalista a saber sobre a saúde financeira da empresa, que advém de informações sobre as contas da companhia e que pode ser conhecido por qualquer um que esteja interessado.

    Assim, quem quiser procurar uma empresa para investir, precisará avalia-la e ver a possibilidade de gerar bons lucros no futuro. Se, por algum motivo, a valorização da companhia for bem acima do preço de mercado, por exemplo, espera-se que o preço busque o valor intrínseco e fará seus investimentos valorizarem ao longo do tempo.


    Fundamentos: Quantitativa e Qualitativa

    As diversas variáveis fundamentais podem ser agrupadas em duas categorias: quantitativas e qualitativas. Sendo:

    Quantitativo – o que tenha a capacidade de ser medido ou mostrado com números.

    Qualitativo – o que é relacionado com base na qualidade, muitas vezes em oposição ao seu tamanho ou quantidade.


    Muitos especialistas dizem que as análises qualitativas ou quantitativas são muito melhores quando usadas em conjunto.


    Os fundamentos são quantitativos e são as características numéricas mensuráveis de um negócio. Pode-se, então, saber os valores dos lucros, ativos e receitas, valor patrimonial etc. São os chamados múltiplos.


    Os fundamentos qualitativos são as variáveis menos tangíveis e relacionadas ao negócio, como: a forma que agem os membros da diretoria da empresa; patentes, o reconhecimento da marca etc.


    Usando o Bradesco (BBDC4 / BBDC3), como um exemplo para poder examinar suas ações, um analista estudará como é o pagamento anual de dividendos por ação e seus lucros; a relação entre o preço e lucro etc. Entretanto, nenhuma análise do Bradesco estaria completa sem antes procurar saber como a marca é reconhecida.


    O Conceito de Valor Intrínseco


    Um dos principais pressupostos da AF é que o preço no mercado de ações não mostra o valor real de uma ação.


    Suponha que a ação da Vale (VALE5) foi negociada a R$30. Após a realização de um estudo da situação da companhia, o investidor se convence que este é o real preço da ação. Ou seja, ele determinou o valor intrínseco da empresa em R$30, sendo isso importante porque o investidor quer comprar ações cujo preço esteja abaixo de seu valor intrínseco de mercado. Outro ponto a se destacar é que no longo prazo, o mercado de ações deverá refletir os fundamentos da empresa.


    Ao focar em uma determinada companhia, um investidor pode estimar o valor intrínseco e encontrar oportunidades para comprar a ação a um preço menor.


    Características da Análise Fundamentalista


    É difícil dizer quais as vantagens e desvantagens da AF, já que isso dependerá do perfil e objetivos de quem estiver investindo. Por causa disso, segue uma lista que poderá ser vantajosa ou desvantajosa a você e que retomará alguns dos pontos já destacados anteriormente:

    Conhecimentos específicos requeridos: isto quer dizer que as empresas devem ser observadas como negócios. A contabilidade também é fundamental na análise da empresa. Logo, os números, e o que eles representam, deverão ser de um conhecimento profundo do investidor.


    Tempo para se fazer um investimento: uma análise de qualidade exigirá mais trabalho e ao verificar se o papel está barato, o investidor aguardará até que o patamar do mercado se eleve e faça a sua ação chegar a preços bem mais elevados em relação a outros períodos. Então, é hora de fazer uma nova análise, fazer novas projeções e decidir sobre a venda ou não.


    Como o mercado está se movimentando: o analista não precisa seguir cem por cento do andamento do mercado. Ao contrário da Análise Técnica que muito se utiliza do "efeito manada", na AF em muitas oportunidades terá uma posição contrária. Em diversas ocasiões quando muitas vendas são realizadas, os preços tendem a cair e possivelmente o ideal será comprar. Em outro momento, os preços tenderão a aumentar e o ideal será vender, pois o valor da ação estaria acima do chamado "preço justo", um termo bastante utilizado pelos analistas.

    Como as empresas são conhecidas: uma aprofundada análise pode concluir que as empresas mais famosas podem ser investimentos não tão vantajosos por suas ações estarem muito caras ou por causa do menor potencial de crescimento. Neste momento, as small caps, ou ações de segunda linha,, podem representar grandes vantagens por serem empresas sólidas, apesar de não serem tão negociadas no mercado quanto as blue chips, as ações de maior liquidez e que possuem um peso maior no índice da Bolsa de Valores de SP, conhecido como Ibovespa.


    Simplificando: qual seria a função da análise fundamentalista?

    Encontrar ações baratas com potencial de valorização acima do mercado e que possibilitem ao investidor conseguir grandes lucros depois de um determinado período.




Entre para responder
 

Parece que sua conexão com Fórum Portal do Trader caiu, por favor aguarde enquanto tentamos reconectar.