Comprando a seco



  • Há mais de nove anos atuando no mercado, é impressionante como ainda é possível depararmo-nos com os mesmos erros cometidos no mercado de opções, em especial por quem está começando. Na verdade, a recorrência destes erros se deve à falsa ilusão que esses ativos causam, devido ao baixo preço de negociação e às grandes variações percentuais no curto prazo de tempo – uma opção pode ter variações de 500% num único dia.

    Recentemente, uma grande casa de análise recomendou a compra de opções de compra de VALE5. O que se viu foi uma corrida eufórica ao mercado para a aquisição dessas opções e, o que mais me espantou, foi o volume negociado em tão pouco tempo. A última vez que me lembro de uma corrida eufórica dessas foi por ocasião do vazamento da informação da aquisição da Lan-Chile pela TAM. Opções sobre as ações da companhia e direitos de subscrição tiveram altas recordes de mais de 1.000% num único dia de negociação – fato que levou a CVM a quase cancelar todos os negócios realizados naquele dia. Bem, o resultado da compra desenfreada de opções da VALE resultou num enorme prejuízo para os compradores, pois os preços da ação não fizeram para despencar. Mais tarde, soube-se que um dos maiores vendedores de opções, foi justamente a casa de análise que recomendou a compra. Afinal, o que move as pessoas a se arriscar dessa forma? A resposta parece ser bem lógica: a possibilidade de ganhos extraordinários num curto espaço de tempo. A ganância faz com que fiquemos cegos diante dos riscos de grandes prejuízos e acabamos por negligenciar o quão potenciais são as perdas. Não há nada de errado em fazer uma “aposta”, desde que apostemos apenas o que aguentamos perder. A perda não pode abalar o patrimônio de uma pessoa, especialmente se essa aposta é feita num jogo de cartas marcadas. A ideia desse artigo é mostrar que não se trata de manipulação de mercado, mas de um efeito normal e característico das opções.

    Em artigos anteriores, entendemos os elementos básicos do mercado de opções – ver em https://forum.portaldotrader.com.br/topic/170/resumo-de-opções-sobre-ações –, o que é volatilidade – ver em https://forum.portaldotrader.com.br/topic/174/volatilidade –, o que é VE – ver em https://forum.portaldotrader.com.br/topic/361/entendendo-o-ve – e em https://forum.portaldotrader.com.br/topic/342/opções-um-mercado-de-expectativas, entendemos a dinâmica do mercado de opções propriamente dito. É justamente usando os conceitos abordados nesses artigos que é possível entender a premissa de que o comprador de opções a seco não passa de um mero tomador de risco. A cada dia que passa, fica mais fácil prever se uma opção irá ou não para o exercício e isso faz com que, naturalmente, haja diminuição da expectativa. Esse fato, por si só, nos deixa em posição de desvantagem ao pensarmos nas cinco possibilidades para a movimentação dos preços das ações:

    1. Alta forte

    2. Alta

    3. Consolidação

    4. Queda

    5. Queda forte

    A compra de CALLs (opções de compra) fora do dinheiro só será vencedora se houver alta forte dos preços da ação subjacente. Qualquer outra situação nos fará perder o dinheiro aplicado na compra das opções. O mesmo acontece para a compra de PUTs (opções de venda) fora do dinheiro: só será vencedora se os preços do ativo caírem com força. Qualquer outra situação nos fará perder o dinheiro aplicado na compra das opções.

    Como dito acima, é um movimento natural. Há uma diminuição de expectativa com a passagem do tempo e isso faz com que o Valor Extrínseco das opções seja, a cada dia, menor, até chegar a R$0,00 no dia do vencimento. Uma vez que esse movimento natural é entendido pelo operador, fica mais fácil não entrar numa “furada”, uma vez que já se sabe que o VE tende a zero. Ora, por que alguém compraria algo que, num futuro próximo, valerá zero? A maioria dos operadores esquece – ou nem sabe – que opções não são ativos direcionais, pois são quatro os fatores que influenciam o prêmio: distância entre o strike e o preço da ação, tempo para o vencimento, taxa de juros e volatilidade. É muito comum olhar apenas o primeiro item e constitui-se num erro fatal! Para operar opções é preciso ter esse preceito em mente: VE tende a zero. Então, a ideia é tentar montar operações para ficar vendido em VE e, com isso, tirar proveito da passagem do tempo. Vendidos em VE, automaticamente colocamos o tempo a nosso favor e, consequentemente, aumentamos as chances de acerto na operação. O simples fato de comprar opções mais dentro do dinheiro – embora ainda não seja uma venda de VE – já nos coloca em situação de vantagem no mercado, uma vez que a consolidação dos preços nos favorece. Estando o preço de uma ação a R$10, compramos uma opção de compra com strike R$7, por exemplo. Uma opção tão ITM assim terá um VE baixíssimo, pois a certeza de exercício é considerada 100%. É bem provável que nem haja mais VE... Dessa forma, não há o que ser derretido com a passagem do tempo, em caso de consolidação dos preços. No dia do vencimento, exercemos nosso direito de compra a R$7 para vender a R$10 imediatamente. É preferível arriscar R$300 comprando 100 opções de strike R$7 (com a ação custando R$10) custando R$3, do que arriscar os mesmos R$300 comprando 1.000 opções de strike R$13, custando R$0,03. Essa compra só será vencedora se o preço explodir de R$10 para R$13 no curto prazo. Caso contrário, a cada dia que passa, fica mais claro que essa opção de strike R$13 não dará exercício. Logo, os R$0,03 tendem a zero. Dinheiro perdido!

    Como ilustração, apresento dois gráficos, sendo o primeiro uma comparação entre os preços de PETR4 (entre os dias 03/04/2016 e 25/04/2016) e os preços de PETRE6 (strike R$6) no mesmo período.


    Uma opção ITM tende a “seguir” o movimento de preços da ação, embora seja possível notar distorções provocadas, provavelmente, pela variação de volatilidade no curto prazo. Isso ocorre por haver um VE muito baixo – pouca coisa a ser derretida. Já uma opção OTM (PETRE9, com strike R$14,00) não consegue acompanhar o movimento dos preços, mesmo com grandes variações de volatilidade no curto prazo. Note, a partir de R$15/04, a queda dos preços da opção, mesmo estando o preço da ação em ligeira tendência de alta. A cada dia que passa, menos o mercado acredita no exercício dessa opção.


    É sempre muito importante fazer uma análise rigorosa de todos os fatores que envolvem a precificação da expectativa, sejam eles a volatilidade, o tempo para o vencimento e a distância entre o strike e o preço da ação. É preciso olhar tudo, montar operações de venda de VE e, acima de tudo, arriscar apenas o que está disposto a perder.



  • Murilo, há qto deveria ser o strike p/ estar dentro do dinheiro? P/ mim 7,00 seria OTM. O intervalo de preços entre 7 e 10,00 é o mesmo entre 10 e 13,00. Qual seria o equívoco no meu raciocínio? Excelente post! Parabéns! abs, Rogério.



  • @Trader168

    Caro Rogério

    Obrigado por ler meu post e por colocar sua dúvida. Sinto-me honrado com sua confiança.

    Vamos lá: estando o preço da ação a R$10,00 teremos as seguintes posições:

    OpçãoStrikeClassificação
    CALL (opção de compra)Abaixo de R$10,00ITM
    CALL= R$10,00ATM
    CALLAcima de R$10,00OTM
    PUT (opção de venda)Abaixo de R$10,00OTM
    PUT= R$10,00ATM
    PUTAcima de R$10,00ITM

    Esse é o primeiro ponto!

    Quanto à segunda dúvida: sim, a diferença entre 7 e 10 e entre 10 e 13 é exatamente igual. Mas em opções, isso faz toda a diferença. Na verdade, eu usei esses valores como exemplo propositadamente. Opções não têm essa relação linear. Estando o preço da ação a R$10,00 CALLs com strike acima de R$10 serão OTM, ao passo que CALLs com strike abaixo de R$10 serão ITM. Há uma enorme diferença, pois opções ITM têm Valor Intrínseco. O Valor Intrínseco é a diferença entre o preço da ação (conhecido como SPOT) e o strike da opção. Então, para um SPOT de R$10,00 uma CALL de strike R$8,00 tem R$2,00 de Valor Intrínseco. Por que? Para entender, faça-se a seguinte pergunta: "quanto estou disposto a pagar pelo direito de comprar uma ação por R$8,00 estando essa mesma ação cotada a R$10?" Agora, ponha-se na posição do vendedor: "qual o mínimo que aceito receber para dar a alguém o direito de me comprar ações a R$8, estando essa mesma ação cotada a R$10?" Por que ele venderia por R$8 se no mercado está a R$10?

    Então, esse fator faz toda a diferença. Há um ponto comentado no meu post sobre a expectativa do mercado. Na verdade, trabalhamos com duas expectativas diferentes:

    opções ITM têm probabilidade de exercício
    opções OTM têm probabilidade de não-exercício

    quanto mais ITM for a opção, maior será a probabilidade de exercício. Quanto maior a probabilidade, maior nível de certeza. E quanto maior o nível de certeza, menor será a expectativa. Então, uma opção ITM terá um mínimo de V.E. (Valor de Expectativa).

    o mesmo ocorre com opções OTM. Quanto mais OTM, maior será a probabilidade de não-exercício - em outras palavras, menores serão as chances de exercício. Temos o mesmo efeito: maior probabilidade, alto nível de certeza. Maior nível de certeza, menor expectativa e, consequentemente, pouco V.E.

    Usamos esses raciocínios para tentar colocar as chances a nosso favor. Vamos entender isso:

    1ª hipótese:

    Spot: R$10,00
    Strike da CALL: R$13,00 (opção OTM)
    Prêmio: R$0,03

    numa situação dessas, a chance de exercício é mínima. Podemos dizer que a probabilidade de não-exercício é enorme (perto de 97%) e, por isso, há pouco V.E. (as expectativas são mínimas, uma vez que tem-se uma grande certeza de não exercício). A compra de uma opção nessas condições nos coloca em total desvantagem, pois será preciso uma alta explosivamente forte para que possamos sair vitoriosos. Qualquer outra situação - incluindo uma alta modesta - nos fará perder dinheiro.

    2ª hipótese

    Spot: R$10,00
    Strike da CALL: R$7,00 (opção ITM)
    Prêmio: R$3,01

    Nessa situação, a chance de exercício é enorme e, justamente por conta disso, temos pouquíssima (ou nenhuma) expectativa. Lembrando que V.E. de opções ITM são o resultado de prêmio menos V.I. Nesse caso, o VE é R$0,01. A compra de uma opção nessas condições nos dá duas vantagens a mais: a de tirar proveito de uma alta modesta do papel e a de sair no zero a zero caso o preço da ação fique de lado.

    Conclusão:

    estando o spot a R$10, entre comprar 10.000 CALLs OTM a R$0,03 - e com isso arriscar R$300,00 -, prefiro comprar 100 CALLs ITM a R$3,01 - e com isso arriscar R$301,00 -. O risco em dinheiro é exatamente o mesmo. A vantagem é que coloquei mais duas possibilidades a meu favor.

    Espero que tenha ficado claro.

    Abraço







  • Olá, Murilo!

    Sensacional!!!

    Muito obrigado!!!



  • Uma duvida sobre Opcoes de Venda (PUT).

    Quando compro uma PUT, por exemplo VALEQ14, tenho obrigacao em algum momento de possuir as Acoes subjacente VALE5?



  • @GlauberFerraz

    O conceito de opções é bem simples: o comprador tem a OPÇÃO (escolha), ao passo que o vendedor tem a OBRIGAÇÃO. Não importa se a opção é de compra ou de venda. O comprador de CALL (opção de compra) tem a OPÇÃO (escolha) de comprar ou não o ativo subjacente. O comprador de PUT (opção de venda) tem a OPÇÃO (escolha) de vender ou não o ativo subjacente. Já o vendedor de CALL tem a OBRIGAÇÃO de vender o ativo subjacente, caso seja exercido (o comprador exerça seu direito de compra). E o vendedor de PUT tem a OBRIGAÇÃO de comprar o ativo subjacente, caso seja exercido (o comprador exerce seu direito de venda).

    Se você é comprador, de CALL ou de PUT (não importa), não tem qualquer obrigação. A obrigação está sempre com o vendedor e é por isso que dele são exigidas margens em dinheiro ou em ativos financeiros como garantia. O risco do comprador é somente perder tudo o que gastou comprando as opções. Leia o post que falo sobre isso em https://forum.portaldotrader.com.br/topic/342/op%C...




  • Bom dia Murilo, li e gostei muito do seu artigo, parabéns.
    Você acha que comprar call bem itm seja uma estratégia vencedora? Teria algum parâmetroa ser observado para definir a call a ser comprada?



  • @trader64-425

    Salve, amigo

    Em primeiro lugar, obrigado por sua confiança.

    Na minha opinião, a compra a seco não é nem de longe uma boa estratégia, que dirá vencedora (veja que é apenas a minha opinião e, como eu sempre digo, o mercado não está nem aí para as minhas opiniões). Comprar opções é o mesmo que comprar expectativa. E como já explicado acima, a expectativa tende a zero. Ora, por que motivos eu compraria algo que, numa determinada data, valerá zero? 

    Estratégia vencedora é aquela que você aumenta suas chances de ganho, mesmo que se pague um preço maior por isso. Particularmente, não vejo vantagem em apostar numa estratégia com níveis baixos de acerto, mesmo que a aposta seja baixa. Pode ser que você nunca acerte uma operação... 

    Há boas estruturas com opções onde você fica vendido em expectativa e, com isso, tem a passagem do tempo a seu favor. Se sua aposta é num movimento de alta dos preços, pode montar uma trava de alta. Pode ser com CALLs ITM ou com PUTs OTM. Na segunda hipótese, você recebe dinheiro do mercado para montar (dependendo da sua carteira de ativos, pode ser que haja chamada de margem). Em ambos os casos, você estará vendido em VE e isso te deixa com boa vantagem no mercado, ou seja, você não precisa que o preço da ação suba para que sua operação seja vencedora. 

    O interessante das estruturas é que se pode negar duas importantes afirmações para um trader:

    1) stop - é sempre dito: "respeite o stop. Não fique esperando que o mercado volte". Numa estrutura como a trava, você pode esperar. Não precisa estopar imediatamente, pois seu prejuízo já está definido na montagem da operação. Mesmo que tudo dê muito errado, você já sabe exatamente o quanto vai perder. Então, você pode (e deve) dar um espaço para o mercado se mexer e até voltar para a região de ganho. 

    2) taxa de acerto - sempre digo que taxa de acerto = nada, pois não adianta você acertar 9 de 10 trades e ganhar R$100 em cada trade que acerta mas perder R$1.000 no único que erra. Você estará perdendo dinheiro ainda que sua taxa de acerto seja de 90%. Toda estratégia, no longo prazo, tende a 50% de acerto, até o cara x coroa. O que vai te fazer vencedor é saber o que fazer quando acerta e saber o que fazer quando erra. Bem, as estratégias com opções meio que negam isso tudo. Para ter a passagem do tempo a seu favor, a operação fica com uma relação risco/ganho horrorosa. Normalmente, arrisca-se bem mais para ganhar pouco. Numa trava de alta com CALLs ITM, você pode apostar R$0,78 para ganhar R$0,22. Parece estranho, não? Mas é assim que funciona. Você está trocando rendimento por chance de acerto, ou seja, está abrindo mão de parte do seu lucro para aumentar suas chances de acertar a operação. Só o mercado de opções permite isso. Então, pode acontecer sim de você acertar 9 operações e ganhar R$100 em cada, e numa única perder R$1.000. Diferente de um trade de compra ou venda - onde você tem 33,4% de chance de acerto - estruturas de opções bem montadas podem te colocar em uma posição de vantagem, pois você tem a passagem do tempo e o mercado de lado a seu favor. 

    Imagine o seguinte: 

    Preço da ação: R$16,00
    Trava de alta com CALLs de strike R$14 e R$15, onde você pagou R$0,76 para montar. 

    Bem, você pode dizer "Murilo, estou pagando R$0,76 pra tentar ganhar R$0,24. Essa é uma péssima relação risco/retorno!!!" Concordo! Mas veja que você já começa a operação ganhando. Mesmo que o preço fique parado nos R$16,00 sua trava já é vencedora. Por que? Porque ambas opções estão ITM e vão para exercício. Você tem um lucro de R$1 (pois compra ações a R$14 e vende por R$15. Como já pagou R$0,76 para montar, seu lucro é de R$0,24). Além disso, sua posição vendida (strike R$15) tem mais VE do que a posição comprada (strike R$14). No dia do vencimento, ambas estarão zeradas em VE. Pode-se facilmente concluir que strike R$15 perderá VE mais rapidamente que o strike R$14, concorda? Lembre-se que ambas vencem no mesmo dia. Dessa forma, se o preço da ação ficar parado, você ganha os R$0,24. Se você só compra uma CALL, vai precisar que o preço da ação suba para que tenha algum lucro. Se isso não acontecer, você terá que sair com um pequeno prejuízo. E ainda tem mais uma coisa: se o preço da ação subir, a CALL que você comprou vai ficando muito ITM e perde liquidez. Pode ser que você tenha problemas para vender, pois não haverá compradores. Afinal, qual o sentido de comprar uma CALL tão dentro do dinheiro?

    Espero que tenha sido claro. 


Entre para responder
 


O Portal do Trader não se responsabiliza pelas informações e opiniões veiculadas neste fórum, sendo elas de autoria individual de cada participante. Vale ainda ressaltar que investimentos em mercado de renda variável possuem riscos, ganhos passados não garantem ganhos futuros, e a decisão final e responsabilidade sobre cada operação é de cada investidor, devendo ser tomada individualmente.
© 2018 Portal do Trader. Todos os direitos reservados.

Parece que sua conexão com Fórum Portal do Trader caiu, por favor aguarde enquanto tentamos reconectar.