Trava de alta com PUT em VALE​


  • TNT

    Pessoal, vejo VALE sobrevendida no curto prazo...bom momento gráfico para montagem de operação de trava de alta com put ITM com vencimento em dezembro/15.



  • Petroka,

    Excelente a oportunide e aproveitando seu post saberia me dizer onde podemos fazer um bom curso de para atuar no mercado de Opções ?

    Vejo o mercado de opções como uma excelente oportunidade para operar em mercados não direcionais como atual , principalmente em ativos como Vale e Petro. Mas gostaria de aprofundar mais os estudos para poder operar. Entender realmente este mercado

    Não seria até uma dica para o o POrtal do Trader?

    bom final de semana a todos os traders e aguardo sugestões.

    obrigado


  • TNT

    Olá Rcpaiva, tudo bem?

    Aqui no Portal do Trader existe o programa TNT, que ao meu ver é o curso mais completo pra traders, onde sou um dos instrutores de conteúdo de opções.

    Também ofereço o serviço de coach / aulas particulares sobre esse assunto.

    Podemos conversar melhor por email? Peço que me escreva: petrustrader@gmail.com


    Abs,

    Petrokas



  • Petrokas,


    você poderia compartilhar aquela planilha que vc usa nas suas apresentações diária onde tem o gráfico de PayOff e etc? Muito bom o formato e se você pudesse compartilhar agradeceria.


    Sds,


    Sérgio Brito


  • TNT

    Olá Sérgio,

    Obrigado pelo contato.

    No momento, a planilha será disponibilizada apenas aos alunos que contratarem o meu coaching via Portal do Trader.


    Abs,

    Petrokas


    @Trader77 disse:

    Sérgio Br


  • Ok, PEtrokas. Entendido. Parabéns pelos videos. Se eu pudesse pagaria perfeitamente seu coach mas no momento o que posso fazer é estudar os materiais gratuitos e seus vídeos, que são os que mais acompanho pois sei que a única forma de me capitalizar para entrar nesse mercado de ações é "comprando pó" (Opcoes fora do dinheiro) e realizando-as no dinheiro. Estou sempre estudando opções para investir. As vezes realizo-as antes de seu vencimento para "colocar no bolso o lucro" e ainda não "acertei na veia".


    Mas muito obrigado pelos vídeos e que você continue fazendo-os com tanta dedicação porque está ajudando muitos a ganhar dinheiro, inclusive eu. Parabéns por disseminar seu conhecimento diariamente. Forte abraço!




  • @Trader77

    Caro amigo

    Desculpe-me a intromissão, mas gostaria de colaborar com o pouco que sei.
    Comprar opções fora do dinheiro (pozinho) pra tentar acertar uma "tacada" é contraproducente. Quando você compra uma opção, tem de cara o tempo contra você. O tempo corrói o valor de expectativa (VE), uma vez que, a cada dia que passa, fica mais fácil prever se a opção será exercida ou se virará pó. Logo, quanto menos expectativas, menos VE.

    Se você me permite a sugestão, estude travas de baixa. Travas de baixa são operações de risco controlado, onde você RECEBE dinheiro do mercado para monta-las. Estando vendido em VE, você tem o tempo a seu favor. O derretimento de VE favorece sua posição.
    Pense no mercado com 5 movimentações possíveis:
    1) Alta Forte
    2) Alta
    3) Anda de lado
    4) Queda
    5) Queda forte

    Comprado em opções, você só ganha se o preço do papel subir forte. Logo, você tem 4 outras possibilidades contra você. Numa trava de baixa, sua ponta vendida tem mais VE do que a ponta comprada. Então, você está vendido em VE. A operação é interessante, uma vez que você ganha com a queda, ganha com os preços de lado e ainda aguenta uma leve alta. Você tem 4 possibilidades a seu favor e apenas 1 contra.

    É uma operação de risco muito controlado, uma vez que sua perda está limitada à diferença de strikes menos o que você recebeu. Exemplo:
    você vendeu xxxxA20 (strike R$20,00) e comprou xxxxA21 (Strike R$21,00) estando xxxx5 a R$19,00 (logo é uma trava de baixa OTM) e recebeu R$0,20 na montagem. Se o preço do papel disparar acima de R$21,00 você será exercido e terá que vender as ações por R$20 mas poderá exercer seu direito de compra a R$21,00. Seu prejuízo seria de R$1,00 mas como você já recebeu R$0,20 na montagem, seu prejuízo está limitado a R$0,80. Daí, fica muito fácil limitar perdas.

    Você ainda pode diminuir seu prejuízo ao desmontar a trava caso o preço da ação atinja o ponto médio da trava. No nosso exemplo, se o preço da ação chegasse aos R$20,50 você recompra sua posição vendida e vende sua ponta comprada, com pequeno prejuízo.

    Pra quem está começando, acho as travas operações perfeitas, pois você pode escolher a faixa de preço que quer trabalhar e limita prejuízos, deixando a operação tranquila. Há um tripé que você deve observar:
    a) Lastro - é a distância entre o preço da ação no momento da montagem e o break even (ponto de equilíbrio). Se você recebeu R$0,20 na montagem da operação acima, o seu Break Even está em R$20,20. Estando o preço da ação acima desse valor, você já entra na zona de prejuízo. O lastro é facilmente encontrado fazendo-se a seguinte operação: [(BreakEven/Preço da Ação) - 1]*100
    No nosso exemplo, essa conta resulta 6,32. Ou seja, sua operação aguenta uma alta de 6,32% do preço do papel. O lastro deverá ser sempre compatível com a volatilidade anualizada dos preços da ação. Leia meu artigo sobre volatilidade e entenda melhor esse importante fator.
    b) Tempo - quanto mais tempo para o vencimento, maior o risco. Procure montar operações com vencimentos inferiores a 60 dias para evitar ter que estopar a toda hora.
    c) Eficiência do VE - o VE da operação não deve jamais ser inferior a 0,5% do preço da ação. VEs muito baixos não são eficientes, pois te deixam exposto a uma possível explosão do preço da ação. O ideal é buscar algo em torno de 4% do preço da ação, mas é difícil encontrar travas com esses valores. Na minha opinião, 2,5% do preço da ação já dá pra montar uma trava interessante, com uma boa probabilidade de ganho e bom lastro.

    Procure sempre montar tabelas para calcular esses parâmetros, de modo que você possa tomar suas decisões sem contar tanto com a sorte. De todas as operações, a compra de opções é disparado a pior delas, pois você só conta com a sorte. E, como você já deve ter percebido, está jogando dinheiro no ralo, pois como você mesmo disse "ainda não acertei na veia"

    Abraço




  • TNT

    Olá MurilloBarquett e Trader77,


    A explanação acima feita pelo Murillo é extremamente coesa.

    Realmente, quando montamos travas de baixa com call, temos diversos fatores a nosso favor. As chances de ganho são elevadas, mas o potencial de lucro é limitado, uma vez que travas possuem essa característica: risco e retorno definidos na montagem da operação.

    A técnica de comprar opções a seco OTM posui o comportamento contrário: retorno ilimitado, pois você compra um ativo a um preço muito baixo e não há limites para valorização! Porém, é necessário escolher qual opção e em qual momento comprar.E também saber que algumas operações vão dar errado!

    Eu entendo que um mix de estratégias é uma boa abordagem para tirar bons proveitos no mercado de opções!

    Parabéns pelo texto acima. Percebo que alguns conceitos são os mesmos apresentados pelo nosso mestre Bastter, o qual aprecio bastante!


    Grande abraço,

    Petrokas



  • @PEtrokas

    Obrigado, mestre! Fico feliz de poder colaborar com algo útil.
    Sim, sigo a filosofia do Bastter, e a considero bastante consistente.

    Dei o exemplo da trava por ser justamente uma operação com stop na montagem. Não exige grande experiência de quem opera e tem risco controlado. O preço a pagar por essa tranquilidade é um ganho limitado. Considero a trava uma excelente operação para quem está começando no mundo das opções. Uma vez que não há pressão sobre a operação (prejuízo já está limitado), o operador pode acompanhar com tranquilidade o comportamento do VE e do lastro. Acho isso de extrema utilidade como aprendizado. Mas há operações mais interessantes para ficar vendido em VE, tais como a venda coberta para remuneração de carteira, as operações de taxa e as travas calendário (as que o Bastter chama de "Venda Coberta Sem Ação").

    Também não vejo nada de errado em tentar trades a seco com opções, desde que se mantenha uma forte gestão de risco, arriscando apenas o que se sente confortável perder. Aproveitar uma sobra de caixa de uma trava bem sucedida pra comprar um pozinho e tentar um bilhetão é saudável e como diversificação de trade é interessante também. Reitero apenas uma boa gestão de risco, para evitar devolver lucros ou tomar prejuízos grandes. O importante é sempre operar pequeno.

    Abração




  • Obrigado Murilo e PEtrokas,

    vou fazer o que vocês estão me ensinando. Vou estudar mais travas de baixa, mesmo que seja com ganho limitado. Já dizia meu avô: "Quem ganha muito é porque tem muito". Como minha gestão de risco permite pouco dinheiro em investimento variável, vamos aplicar pouco e aumentar o capital em opções devagar. Vou estudar bastante travas de baixa! Valeu mesmo as dicas de vocês e forte abraço!

    Sds,


    Sergio Brito



  • Murilo,


    Estou pensando em fazer uma trava de baixa em Vale5 "lançando" a call A20 e comprando a call A41. A volatilidade anualizada deste papel está em torno de 50%, segundo o link bovespa que vc postou. Quando você cita no post acima "O lastro deverá ser sempre compatível com a volatilidade anualizada dos preços da ação", o que realmente devo prestar atenção para encaixar essa operação? Por exemplo, como só teremos 1 mês para o vencimento considero a volatilidade mensal transformando a taxa de anual para mensal e está taxa mensal deve estar abaixo do lastro, é isso? Poderia me explicar melhor essa parte?


    Outra pergunta é se você costuma desfazer a trava no lucro também ou somente quando vai para o prejuízo? Vi o vídeo do Bastter explicando a trava de baixa utilizando uma planilha e os cálculos acima e ele tem um ponto em que desfaz a trava no lucro. Você pratica isso?


    Dede já agradeço,


    Sergio Brito



  • @Trader77 disse:

    Murilo, só para complementar o lastro deu 9,24%.

    Murilo,


    Estou pensando em fazer uma trava de baixa em Vale5 "lançando" a call A20 e comprando a call A41. A volatilidade anualizada deste papel está em torno de 50%, segundo o link bovespa que vc postou. Quando você cita no post acima "O lastro deverá ser sempre compatível com a volatilidade anualizada dos preços da ação", o que realmente devo prestar atenção para encaixar essa operação? Por exemplo, como só teremos 1 mês para o vencimento considero a volatilidade mensal transformando a taxa de anual para mensal e está taxa mensal deve estar abaixo do lastro, é isso? Poderia me explicar melhor essa parte?


    Outra pergunta é se você costuma desfazer a trava no lucro também ou somente quando vai para o prejuízo? Vi o vídeo do Bastter explicando a trava de baixa utilizando uma planilha e os cálculos acima e ele tem um ponto em que desfaz a trava no lucro. Você pratica isso?


    Dede já agradeço,


    Sergio Brito


  • Grande Sérgio

    obrigado por sua confiança.
    Então, amigo! Se a volatilidade anualizada está em 50%, você deve tomar muito cuidado. Grosseiramente falando, uma volatilidade monstro como essa, você pode pensar que, no curto prazo, o papel pode variar 25% pra cima e 25% pra baixo. O lastro da sua operação tem que ser nessa ordem de grandeza. Um lastro de 9% é muito pequeno e você aumenta MUITO suas chances de ser estopado. Para essa volatilidade, um lastro razoável seria na casa de 30%. O problema é que o VE ficará muito pequeno e, provavelmente, não compensará o risco. Além do lastro, você deve olhar a eficiência de VE. Para montar esse tripé, considero um VE mínimo de 3% do valor da ação. Nos níveis de preço atuais, sua posição vendida em VE tem que estar na casa de R$0,30. Menos do que isso é correr risco sem necessidade.

    Esse é o problema de operar opções com volatilidade exacerbada do ativo subjacente (ação). Os prêmios das opções ficam muito distorcidos e não dão muito espaço para montar estruturas eficientes. Volatilidade alta é mais propícia para trades. O mercado acaba se concentrando nas opções mais próximas do dinheiro (ATM) e meio que esquece as outras. No seu lugar, não montaria travas nesse momento.

    Há 3 tipos de stop nas operações com opções:
    1) Tempo: você deve desmontar a operação na 5ª feira que antecede o vencimento. Não deixe para 6ª feira, pois se você tiver algum problema, irá para exercício, uma vez que é proibido negociar opções no dia do vencimento de suas séries.
    2) VE bateu no valor mínimo: quando o VE atinge 0,5% do valor da ação, perde eficiência. Não vale a pena se expor a uma explosão da ação, o que te fará desmontar com prejuízo uma operação que estava no lucro. O Bastter chama esse valor de NV (Não vende). VE bateu no NV, desmonta tudo e põe o lucro no bolso
    3) Alta do ativo subjacente: no caso da trava de baixa, o seu stop fica no ponto médio entre os strikes. Se quiser ser um pouco mais conservador, pode colocar o stop no Break Even (na trava de baixa, o BE é o strike da tua posição vendida + o que recebeu do mercado pra montar). Acima desse valor, sua operação entra na faixa de perda. Se você for mais agressivo, pode deixar ir para o exercício, uma vez que seu prejuízo está limitado à diferença dos strikes menos o que recebeu para montar. Vamos a um exemplo prático:

    Você vendeu VALEA20 (strike R$10,62) por R$0,33 e comprou VALEA41 (strike R$11,12) por R$0,21. Sua posição vendida em VE é R$0,12. O stop para uma pessoa
    a) conservadora: R$10,62 + R$0,12 = R$10,74. Se o preço da ação bater esse valor, desmonte tudo;
    b) moderada: R$10,62 + R$0,25 (metade da diferença de strikes) = R$10,87. Preço da ação bateu esse valor, desmonta tudo;
    c) agressiva: R$11,12.
    d) super agressiva: deixa rolar pra ver no que dá (rsrsrsrs). Seu prejuízo está limitado a R$0,38 por ação.

    Fazendo uma análise mais profunda, veja que, embora sua trava nem esteja tão fora do dinheiro, o VE não é eficiente. Você está arriscando perder R$0,38 para receber R$0,12 e suas chances de ganho não são tão grandes. Uma alta de pouco mais de 7% te estopa a operação. Uma boa trava tem que te dar um bom VE e tem que te colocar numa posição onde você ganha na queda, ganha se andar de lado e ainda aguenta uma leve alta. Para uma volatilidade anualizada de 50%, um lastro de 7% é totalmente incipiente e arriscado.

    Espero não ter ficado nenhuma dúvida, mas se tiver, estou às ordens.

    Abraço













  • @MuriloBarquette


    Murilo,


    Muito obrigado pelo retorno, ficou muito bem claro! Também agradeço a paciência e tempo despendido com esse iniciante!


    Sds,


    Sergio Brito




Entre para responder
 


O Portal do Trader não se responsabiliza pelas informações e opiniões veiculadas neste fórum, sendo elas de autoria individual de cada participante. Vale ainda ressaltar que investimentos em mercado de renda variável possuem riscos, ganhos passados não garantem ganhos futuros, e a decisão final e responsabilidade sobre cada operação é de cada investidor, devendo ser tomada individualmente.
© 2018 Portal do Trader. Todos os direitos reservados.

Parece que sua conexão com Fórum Portal do Trader caiu, por favor aguarde enquanto tentamos reconectar.